Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \24\UTC 2008

O Personagem do Natal?

No dia de Natal, não esqueçamos de agradecer ao PAPAI NOEL por ele ter descido da chaminé por nós… Para que tivéssemos vida em abundância. Ninguém nos ama como o bom velhinho! 🙂
« Marcelle Cristhi »

Fé Publicitária (por Marcos Vinicius, baseado no texto de Marcelle Cristhi)

Fé Publicitária (por Marcos Vinícius, baseado no texto de Marcelle Cristhi)

Lembremos do verdadeiro significado, pois o aniversariante se vestiu de vermelho um dia, mas de sangue…
FELIZ NATAL!  =)
« Marcos Vinícius »

Anúncios

Read Full Post »

Dê-coração de Natal

Uma pergunta vem sendo feita com muita freqüência na televisão pela voz do Seu Jorge em uma propaganda de rede de super-mercados, mas eu não sei se as pessoas realmente a escutam: “O que faz você feliz?”.

“O que faz você feliz?” É uma ótima pergunta, garanto que rapidamente poderíamos preencher várias folhas com respostas para ela, seja uma folha materialista com o que tu gostarias de ter, seja uma folha bem humorada espalhando felicidade, seja uma folha humanitária preocupada com os males do mundo… Mas como tu usarias essas folhas? De que adianta saber disso e deixar guardado em uma gaveta, nos armários de tua mente? Para ler em voz alta no natal e sentir-se valioso com olhar da platéia? Admiro quem conserva anonimatos em boas ações, e não quem quer créditos de boas palavras… O natal não é uma data marcada para ser bom (ou fingir ser), mas para ser alguém melhor e principalmente continuar a ser depois daquele dia, então vamos trocar a pergunta: Como você faz alguém feliz?

Não venho aqui dizer que tu vires franciscano, desfaça-te de tudo que tens e viva apenas para os outros, ou que crie uma ONG para alimentar os famintos, não hoje, não dessa vez, o que tento fazer-te refletir é mais simples, e por isso mesmo, para alguns, mais difícil de enxergar e chegar… Há uma teoria/dito no mundo da música que fala que para atingirmos o sucesso primeiro devemos ser um sucesso em casa, depois na rua, bairro e cidade, para virar um sucesso em seu país e no mundo. Eu particularmente não sei se isso é verdade para a música, mas me utilizarei da teoria para o amor… Primeiro ama a tua casa, depois ama a tua rua, teu bairro, tua cidade, teu país e então o mundo. Claro que é extremamente válido cuidar de crianças de rua, ajudar uma cidade do outro lado do país que foi destruída e deve haver milhões de textos sobre isso, sobre atos grandiosos de doação, mas não é meu caso esse ano, vim aqui falar da base, da estrutura que dá suporte para os alicerces do ser humano, dos passos que antecedem as grandes corridas, do passo que antecede o grande salto…

Voltemos à pergunta, mas agora seguindo a ‘teoria do sucesso’: Como você faz alguém feliz em sua casa? É bom que o homem tenha fé, e para aqueles cuja fé se enquadra em alguma religião, que se dediquem a ela, claro, se isso te faz feliz, é bom. Vou utilizar aqui um exemplo da minha fé, a história de Abraão. Deus ordenou a Abraão que tomasse a vida de seu filho Isaac em nome de sua fé, e Abraão o faria se Deus não o impedisse no último instante. Essa história é utilizada para mostrar como Abraão não duvidou de seu Deus e de sua fé, um ótimo religioso Abraão… E péssimo pai… O Deus no qual acredito é feito de puro amor, e quer a felicidade de todos acima de tudo, então não quer que alguém sacrifique sua família em nome dele (graças a Deus o assassinato de Isaac foi impedido), pois para ser uma bom cristão (ou budista, ou espírita, ou seja qual for a religião) é preciso ser primeiro uma boa pessoa, um bom filho, bom pai, bom marido, bom cidadão, alguém que não compactue com o errado, abandone seu lar e família em nome dele… Ele não te pediu isso… “A religião é o que mais afasta o homem de Deus”, como disse o papa João Paulo II… Faça tua família feliz. Simples assim… Essa será tua maior oração… Não brigue, dialogue, sorria e mais ainda, faça sorrir, não encha seu coração com ira nunca, releve, dê a outra face, torne sua casa um lar, e quando essa casa estiver cheia de amor ela será morada de Deus e da felicidade, e será natal todo dia…

Eu sempre adorei o Natal, fico muito feliz quando o famoso espírito natalino paira sobre as cabeças pensantes dos seres humanos, mas fico muito triste quando ele vai embora depois do Réveillon… Depois de muito pensar, acredito que as pessoas que deixam esse espírito desmoronar não têm a estrutura necessária para acomodá-lo, e sem bases sólidas as paredes se dissolvem com as bolhas champanhe… Então meu movimento esse ano (além de continuar defendendo a introspecção) é o de amar o mais próximo antes de amar ao próximo, para que esse amor não tenha furos por onde escapar, e o espírito do natal perdure. Faça teu pai feliz sendo um bom filho, tua esposa mais contente com pequenos gestos de carinho e amor, se faça presente na vida das pessoas que te cercam, não com tua presença física, mas a presença de teu amor e lembre-se de que melhor que sacrificar-se é doar-se, não para Deus, mas para os filhos dele…

Independente de qual religião, independente se tu tens religião, ame! Esse ano faça de teu espírito tua árvore, que tuas ações sejam teus enfeites, que os sorrisos dos que te cercam sejam tuas luzes a te iluminar, faça uma boa ação para si preparando-se para algo maior, para ser alguém melhor, reflita, continue gerando listas de promessas, depois as cumpra… Dê-coração de natal… A roupa enfeita o corpo, o amor enfeita a alma…

A todos meus amigos, obrigado por serem quem vocês são e como vocês são!

Que venha 2009, venha ainda melhor para pessoas ainda melhores e com mais amor… =)
Abraços, Feliz natal e um próspero Ano Novo à todos…
Seu amigo de muita fé;
« Marcos Vinícius »

O amor é um ato de fé e quem tiver pouca fé também terá pouco amor…
« William Shakespeare »

Read Full Post »

A perda da inocência

Porque remover a magia das coisas? Porque não manter o coração aberto de criança e acreditar que tudo é possível com amor e imaginação? Onde isso deixou de ser verdade? Racionalizar menos e sentir mais se faz necessário, ao menos pelo máximo de tempo!

Lembro-me de uma vez ter pego uma carona com um amigo do colégio para casa. Naquela época a irmã dele tinha uns 6 ou 5 anos, e vinha no banco de trás conosco, atenta às coisas que passavam pela janela, como rapidamente o que estava longe ficava para trás, quando com uma das mãos puxou levemente o cabelo de sua mãe para chamar a atenção da mesma e perguntou:
– Mãe, porque a Lua está nos seguindo?
Vendo um pouco de tensão e preocupação na voz da filha a mãe tratou de tranqüilizá-la:
– Meu amor, é que a Lua te achou bonita… Ela quer ser tua amiga! Ela está nos seguindo para saber onde tu moras e poder iluminar tua noite, para que vocês possam brincar juntas mesmo com a luz apagada…
Dava pra notar os olhos da menina brilhando, fascinada com aquela idéia de que a Lua queria ser amiga dela, imaginando como as duas iriam brincar juntas, serem amigas, ela olhou pela janela de uma maneira completamente diferente, encantada, sorrindo para Lua, como quem tenta dizer “eu também quero ser tua amiga” em um grito silencioso… O mundo era mágico! Naquele instante a guria era plenamente criança, e seu coração transbordava de alegria e magia, crença e imaginação, naquele momento havia fé nas possibilidades, havia felicidade… Mas o momento foi interrompido pelo pai, o motorista veloz, o homem da família, o realista, o racional, o sem coração, o sem graça, o descrente, o usurpador de sonhos:
– Não minta para a menina, explique o que ela verá na escola! Minha filha, a Lua é o satélite natural da Terra, ela é muito grande, maior do que nosso país inteiro eu acho, então ela não está se movimentando, nós é que estamos, e como ela está parada no mesmo lugar enquanto nós nos movimentamos você acha que ela também se meche, mas a verdade é que somos muito pequenos para nosso caminho tenha importância perto do tamanho da Lua…
Correto… Estupidamente correto… Estúpido… Numa só explicação ele não só roubou a magia da infância, a imaginação que começava a ferver da criança, a felicidade que estava brotando, como também tornou o assunto monótono e ainda pior, disse que somos insignificantes para algo, que nosso caminho não tem importância! E aquele brilho sumiu do olhar dela, o sorriso minguou, no lugar dele uma frase:
– Ah, tá…
E naquele instante aquela criança perdeu um pouco de sua fé… Continuou atenta à janela, vendo como as coisas que estavam a frente rapidamente ficavam para trás, mas sem saber que uma das coisas que havia ficado pra trás foi a magia que sua criatividade e imaginação viam nas coisas… Um dia fatalmente deixamos de ser criança, passamos a ter dificuldade de enxergar com o coração, de ver a magia das coisas, então prolonguemos isso ao máximo! Porque não deixamos a magia presente em coisas que não precisam de explicações, como o amor, amizade, destino, o sentido da vida… Melhor encarar que tudo é um milagre ao invés de achar que eles não existem, o copo está completamente cheio, metade com água e metade com ar…

Agora, recomendarei dois filmes que falam sobre isso, então abra seu coração e deixe a magia da infância entrar ao assistir a “Ponte para Terabítia” e “Peixe Grande”.

« Marcos Vinícius »

Read Full Post »

Paixão Instantânea Passageira

Ele caminhava pelo shopping, havia acabado de comprar um presente para surpreender alguém, ia lentamente em direção ao carro quando a viu…
Ela acabara de estacionar, caminhou pelo estacionamento e adentrou o shopping guardando cartão de estacionamento e chaves em sua bolsa, ergueu a cabeça num movimento rápido, tirando o cabelo da frente de seus olhos quando o viu…
Eles caminhavam em direções opostas quando se cruzaram, principalmente quando seus olhares se cruzaram, sorriram, sentiram algo diferente, desviaram o olhar para sorrir, depois se entreolharam e riram, ainda andando um de encontro ou outro. Subitamente pararam, e os olhares se desviaram dos olhos e foram em direção às bocas, depois as bocas foram uma em direção à outra, assim, súbita e simplesmente… Lábios trêmulos, bocas molhadas, carinho no rosto, depois se afastam com olhos ainda fechados, testas coladas, depois olhos nos olhos novamente…
Ele não consegue pensar em nada pra dizer, então diz a primeira coisa que lhe vem à cabeça, uma paráfrase de um filme bom: “Hello stranger…”
Ela o silencia e diz “Shhh… Não estraga isso com palavras, apenas observa…”
Ele observou um tempo, depois interrompeu o silêncio perguntando:
– Você observou o que aconteceu?
– Sim… Acabou de passar por nós…
– O que exatamente?
– A paixão… Se foi, e agora não está mais entre nós, deixou apenas a lembrança de um lindo momento…
– Deixou uma sensação muito boa também… Um aroma no ar…
– É, essa Dona Paixão é danada, sempre faz isso…
– Qual teu nome?
– Shhh… Não estraga isso com mais palavras, apenas observa moço…
– E o que eu devo observar agora que a paixão se foi?
– Observa eu me afastar, pensa que esse momento não podia ser melhor, e o melhor é nos afastarmos pra não estragar…
Ela foi afastando soltando sua mão devagar, sorrindo, andando de costas… Ele sorriu de volta, envergonhado, feliz, garoto… Seguiram seus caminhos opostos pensando no momento em que se cruzaram, olharam por cima do ombro ao mesmo tempo (como tinha de ser) para fixar um pouco mais os rostos nas memórias, e seguiram sem saber como se chamavam, posto que não se chamariam, apenas lembrariam um do outro como uma paixão instantânea passageira…

« Marcos Vinícius »
[baseado numa história real…]

Read Full Post »

Êxtase

Heroes Kiss

Heroes Kiss (por Marcos Vinícius)

Good Night Kiss

Good Night Kiss (por Marcos Vinícius)

Lovers (por Marcos Vinicius)

Lovers (por Marcos Vinícius)

Read Full Post »

Agonia

Ilusão (por Marcos Vinicius)

Ilusão (por Marcos Vinícius)

Read Full Post »

Moça da janela bonita

Tua rotina pede descanso
Teu descanso pede teu sono
Teu sono pede a manhã
A manhã pede a ti
Que não interrompas teu sonho

Mas a manhã vai passar
Amanhã vai virar
Tua janela ainda está fechada
E assim o sol não entrará

Para aquecer teu rosto
Para iluminar teu olhar
Depois disso voltes ao teu repouso
E te garanto moça do sorriso
Mais feliz irás sonhar

« Marcos Vinícius »

Read Full Post »

Older Posts »